Soluções tecnológicas ganham o campo e ajudam produtores a reduzir os custos

Em um cenário que aponta para a necessidade de incremento de aproximadamente 70% na produção de alimentos até 2050, segundo projeções da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, a tecnologia ganha importância na agricultura para ajudar na missão de alimentar os cerca de 7 bilhões de habitantes do planeta, que saltarão para 10 bilhões daqui a 33 anos.

Satélites, drones, GPS, máquinas agrícolas inteligentes e smartphones ganharam espaço no agronegócio, tornando-se comuns na rotina dos produtores, que enxergam na agricultura de precisão um auxílio indispensável para aumento da produtividade e redução de custos e desperdícios.

No Brasil, o agronegócio é visto como a salvação da economia. De acordo com o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), o setor cresceu 4,48% em 2016. A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) prevê 8,8% de alta do PIB do agronegócio neste ano e o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) calcula um crescimento de 26,2% da safra agrícola, com estimativa de produção de 233,1 milhões de toneladas.

Previsões como essas se tornam possíveis graças à democratização da tecnologia no campo, que vem se consolidando nas últimas décadas. O engenheiro agrônomo Marcio Sena Pinto acompanha as inovações tecnológicas desde a década de 1980 e considera a modernização fundamental para o crescimento do agronegócio.

“É um caminho que não tem mais volta. O produtor tem que adotar a tecnologia, que está presente em tudo, desde a fertilização, correção de solo e genética até as máquinas e ferramentas da agricultura de precisão. Focamos no aumento da eficiência, e como consequência, os gastos são reduzidos”, comenta o consultor de Goiás, que produz soja e carne há 29 anos.

O produtor utiliza soluções da agricultura de precisão há cinco anos e, com auxílio do sistema de monitoramento de safras da Agronow desde abril, busca definir UGDs (Unidades de Gestão Diferenciada) baseadas em históricos de produtividade.

“As ferramentas da Agronow são interessantes. Fáceis de aplicar e com custo mais acessível. Estamos checando dados sobre safras passadas para estabelecer zonas de manejo, e os algoritmos trazem boa correspondência de resultados. Com o monitoramento, conseguimos o histórico da área e estabelecemos metas de produtividade, planejando aplicação de insumos, defensivos e corretivos”, explica o engenheiro, que também aposta em uma integração entre lavoura e pecuária para ampliar a produção e diluir custos.

O consultor Mauricio Bueno, de Uberlândia (MG), já foi produtor e, em 23 anos de experiência como engenheiro agrônomo, atuou em diferentes segmentos, desde o armazenamento até compra e venda, passando por atividades de planejamento.

“Vejo com bons olhos a tecnologia. Ela ajuda a identificar problemas e mostrar o caminho que devemos seguir. A aceitação por parte dos produtores está cada vez maior, mas ainda há dificuldade para utilizar essa tecnologia. Muitos compram máquinas com mapa de colheita, mas não sabem usar.”

O engenheiro destaca soluções que aliam inteligência e funcionalidade, como as oferecidas pela Agronow. ”A ferramenta da Agronow é muito prática e traz resultados detalhados”, opina. Para ele, a agricultura de precisão ajudará a impulsionar o agronegócio. “Ainda há uma margem grande para crescermos em termos de produtividade, e a tecnologia é uma aliada”, afirma, citando GPS, VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado), piloto automático e a taxa variável de sementes como outras inovações que têm ajudado no aumento da produção.

EXPERIMENTE A PLATAFORMA AGRONOW GRÁTIS

Leia também:

Deixe seu comentário