Agronegócio do futuro: agroecologia, produção orgânica e tecnologia aplicada viabilizam comercialização de alimentos com valor agregado

A mudança no conceito de alimentação saudável é um dos grandes responsáveis pelo consumo crescente de alimentos provenientes da agricultura familiar e orgânicos em geral, ou seja, livres de agrotóxicos, antibióticos, hormônios e anabolizantes, entre outros.

De acordo com o governo federal, atualmente a agricultura familiar é responsável por aproximadamente 70% dos alimentos que vão à mesa dos brasileiros, com crescimento progressivo viabilizado por projetos nacionais como o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) e Brasil Agroecológico, e pela adoção de recursos tecnológicos que facilitam a rotina de produção agrícola e rural.

A tecnologia aplicada reduz custos, permitindo a produção em larga escala e ampliando o poder competitivo de mercado desses produtos. Além disso, ela é responsável pela melhora na eficiência e segurança por meio de ferramentas que possibilitam o monitoramento da produção e redução de fatores relacionados às perdas.

O estudo “Análise e Planejamento Territorial – Projeções e Estratégias para a Agricultura Familiar Brasileira”, realizado em 2015 pelo Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (Nead/MDA), aponta que a agricultura familiar continuará crescendo nos próximos dez anos, principalmente no que se refere a alimentos como feijão, arroz, milho, leite e mandioca.

A produção orgânica brasileira, diretamente impulsionada pela agricultura familiar, poderá ultrapassar ainda este ano os 750 mil hectares registrados em 2016 de acordo com o levantamento realizado pela Coordenação de Agroecologia (Coagre) da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A Coagre aponta ainda que houve um crescimento de 6.700 mil unidades (2013) para aproximadamente 15.700 (2016) e que o Sudeste lidera o ranking das regiões que mais produzem alimentos orgânicos, totalizando 333 mil hectares e 2.729 registros de produtores no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO). Na sequência aparecem as regiões Norte (158 mil hectares), Nordeste (118,4 mil), Centro-Oeste (101,8 mil) e Sul (37,6 mil).

Tecnologia Aplicada

A Agronow acredita no papel que a tecnologia ocupa no crescimento do agronegócio e oferece uma tecnologia de monitoramento e previsão de produtividade agrícola online capaz de mapear o desenvolvimento de culturas e prever sua produtividade, por meio de imagens de satélite e um algoritmo próprio, em poucos segundos e com taxa de acerto acima de 90%.

Por meio da Agronow, o produtor pode localizar pragas, aplicar insumos de maneira mais eficiente, identificar áreas mais e menos férteis e prever quanto a safra vai produzir, além de gerar outros dados sobre cultivos passados e o atual com apenas alguns toques na tela do smartphone ou na plataforma web.

    EXPERIMENTE A PLATAFORMA AGRONOW GRÁTIS

Leia também:

Deixe um comentário