Em busca de inovação, Índia mira tecnologias do Brasil para aprimorar produção agrícola

País com forte tradição agrícola e uma das principais potências mundiais em termos de produção – com destaque para produtos como a cana-de-açúcar, trigo, arroz, milho, chá, tabaco e algodão –, a Índia vive um momento de investimento em tecnologia e inovação que traz oportunidades para agritechs brasileiras.

“A tecnologia desenvolvida no Brasil e a maneira como ela é aplicada no agronegócio gera muito interesse na Índia, que se caracteriza por uma agricultura familiar, pouco mecanizada e tecnológica, baseada em pequenas propriedades”, avalia Pedro Ivo Ferraz da Silva, chefe da Divisão de Ciência, Tecnologia e Inovação da Embaixada do Brasil em Nova Déli.

Ferraz acompanhou uma missão de startups brasileiras que participou entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro da 10ª edição do Agritech Índia, um dos maiores eventos agrícolas do país, realizado em Bangalore, principal hub tecnológico do país.

A Agronow foi uma das quatro agritechs escolhidas pela Embaixada do Brasil em Nova Déli para participar do evento. Um comitê da embaixada avaliou cerca de 20 startups para definir as empresas integrantes da missão, que contou com o apoio do Programa de Diplomacia da Inovação do Itamaraty.

Segundo Ferraz, alguns dos critérios para selecionar as startups para a missão foram a capacidade das soluções terem êxito no mercado asiático, o grau de maturidade da empresa e uma carteira de clientes consolidada.

“A missão superou nossas expectativas. Houve bastante contato com o público indiano e as startups puderam começar conversas para futuras parcerias. Depois da feira, também houve um workshop com quatro agritechs indianas em uma incubadora, no qual os brasileiros puderam identificar oportunidades e obter informações sobre as condições para entrar no mercado indiano”, afirmou Ferraz.

Durante o evento, o CEO da Agronow, Rafael Coelho, apresentou ao mercado internacional as soluções desenvolvidas pela startup para monitoramento, previsão e gestão de safras, além de participar de debates sobre agricultura sustentável, segurança alimentar, emprego no campo e tecnologias sustentáveis, entre outros temas abordados na feira.  

Para Ferraz, a ferramenta da Agronow tem grande potencial de aplicação na Índia. “O Rafael fez algumas simulações, com imagens de satélite de plantações de milho e soja na Índia, e mostrou a funcionalidade do software, que tem todas as condições de ser aplicado aqui. As agritechs brasileiras têm ótimas soluções e, sendo adaptadas às particularidades da agricultura indiana, podem contribuir para o crescimento do setor no país”, conclui.

Deixe um comentário