Agricultura 5.0: é hora de democratizar a tecnologia no campo, pede presidente da ESALQSHOW

Evento dedicado a estimular inovações e empreendedorismo na agricultura, o ESALQSHOW 2018 – Fórum de Inovação para o Agronegócio Sustentável chega a sua segunda edição tendo a Agricultura 5.0 como um dos temas de destaque dos debates.

O Fórum será realizado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP ESALQ) entre os dias 9 e 11 de outubro e contará com a participação de profissionais acadêmicos, pesquisadores e empresas de destaque no setor, do Brasil e do exterior.

Tendo como tema central o “Futuro da Agricultura Tropical para a Sociedade”, a programação trará atrações como o AgTech Valley Summit, com foco na gestão de sistemas integrados e abordagem da Agricultura 5.0, apresentando a importância da gestão racional da informação e do conhecimento. 

Para o presidente do Conselho Consultivo do ESALQSHOW, ex-ministro da Agricultura e coordenador do Centro de Agronegócio da FGV-EESP, Roberto Rodrigues, o fórum pode auxiliar numa questão fundamental para o avanço do agronegócio nacional: a democratização da tecnologia.

“A fase de reconhecimento da importância da tecnologia já passou. Todos sabem que, sem ela, a agricultura não vai a lugar nenhum e que a inovação é essencial para a competitividade. A preocupação agora é que todos possam acessar igualmente as tecnologias, pois elas não podem ser transformar em fator de concentração ou exclusão”, comenta.

Ele considera o Fórum importante para discutir o assunto e propor melhorias que possibilitem ao agronegócio manter o ritmo de crescimento. Para Rodrigues, alguns aspectos ainda “travam” o setor. “O crescimento precisa ser mais harmonioso. Temos que criar mecanismos de assistência técnica para os produtores e atingir uma organização mais efetiva do setor, com as cooperativas tendo papel importante nesse processo”, afirma.

O ex-ministro elencou também alguns gargalos que ainda precisam ser resolvidos. “A logística continua longe do ideal. Existem projetos muito bons, mas as coisas não saem do papel por falta de recursos do Estado e uma insegurança jurídica que afasta investidores. O Brasil também não pode ficar tão preso ao Mercosul. É preciso fazer outros acordos internacionais. A Ásia é um mercado que ainda tem muito potencial.”

Ele lembra que a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) prevê a necessidade de um aumento de 20% na produção agrícola mundial nos próximos 10 anos e que, para que isso ocorra, a expansão deve ser de 40% no Brasil. Para Rodrigues, o agronegócio nacional precisa aproveitar as boas condições do momento para criar um plano que garanta crescimento sustentável nos próximos anos.

“É necessária uma estratégia para que o país se torne campeão mundial em segurança alimentar, unindo o rural e o urbano, que têm ligação siamesa no Brasil. Isso envolve uma série de fatores a aprimorar, como logística, comercialização, sustentabilidade, gestão no campo, pesquisa, turismo rural, irrigação, cooperativas e a criação de um seguro rural decente. Temos tecnologia tropical, terras para crescer e gente capaz para conseguir”, conclui.

Mais informações sobre o ESALQSHOW podem ser obtidas pelo site www.esalqshow.fealq.org.br

Ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues concedeu entrevista à Agronow

Deixe um comentário