Redução de custos no campo passa pela adoção da tecnologia, afirma analista do Sebrae-SP

Reduzir custos é o mantra do momento nos agronegócios. No atual cenário econômico do país, ações para minimizar desperdícios, aumentando lucratividade e eficiência, são fundamentais para manter a competitividade.

Normalmente, o agricultor tem dificuldades para controlar o preço de venda, o que torna ainda mais importante a tarefa de conter os gastos sem prejudicar a produtividade.

Para atingir esse objetivo, alguns do expedientes que podem ser adotados são: pesquisar melhores épocas para aquisição de insumos, praticar a compra conjunta com outros produtores, utilizar soluções tecnológicas, aperfeiçoar processos, minimizar desperdícios, capacitar e conscientizar as equipes de trabalho.

Analista de agronegócios do Sebrae-SP, Julia Guaragna destaca um dos pontos mais importantes para os produtores começarem a estabelecer uma estratégia para redução de despesas: a conscientização sobre o custo de produção.

“O maior problema dos pequenos produtores rurais é não saberem exatamente o custo de sua produção. Misturam muito as despesas e receitas da empresa com as familiares. Quando fazem o controle de forma correta, observam que possuem uma margem bem curta para trabalhar. Assim, toda redução e melhoria de processos produtivos são fundamentais para a sustentabilidade de seus negócios”, comenta a engenheira agrônoma, que tem MBA em gestão de negócios.

Julia lembra que algumas culturas sofrem menos com a alteração de preços – como as commodities agrícolas (café, trigo, soja, algodão) – e produtores que se beneficiam de políticas públicas para vender para o governo também estão menos expostos às variações do mercado, mas todos acabam sentindo os efeitos da crise econômica, com a inevitável retração no consumo.

Agricultura de precisão

Segundo a analista, a tecnologia é uma grande aliada neste momento. “Ela vem para otimizar processos produtivos e, portanto, está diretamente relacionada à redução de custos.” Julia lembra, ainda, que apostar em inovação e tecnologia não significa gastar muito com grandes máquinas. Há soluções que envolvem baixos investimentos e que podem trazer retorno rápido e eficiente. Ferramentas da agricultura de precisão são bons exemplos, fornecendo dados e previsões que auxiliam todo o processo produtivo e evitam danos ambientais.

Para a especialista, a diversificação da produção agrícola também pode tornar as propriedades mais competitivas. “Cada vez mais os pesquisadores afirmam a importância de possuir diversos produtos na mesma área, de forma que uma produção estimule a outra, tornando a propriedade mais sustentável e economicamente viável. Assim, os sistemas produtivos como agricultura-pecuária, agricultura-pecuária-floresta e produção sintrópica estimulam o melhor aproveitamento dos espaços produtivos. As propriedades possuem produção mais variada e fontes de renda diferentes, ficando menos suscetíveis a variações econômicas.”

Acostumada a comandar atividades de capacitação com pequenos produtores, a engenheira cita outras atitudes que ajudam na otimização de recursos e diminuição de custos. “Para saber onde reduzir, é fundamental conhecer e separar as fontes de despesas. Orientamos em nossas oficinas que os produtores anotem diariamente os gastos, para analisarmos posteriormente. A utilização de defensivos de forma inadequada e excessiva é uma grande fonte de gastos desnecessários na propriedade agrícola. É necessário produzir mais com menos”, afirma a analista do Sebrae-SP, que conclui reforçando a necessidade de profissionalização das propriedades agrícolas.

“Elas precisam ser tratadas como empresas, e não mais de forma improvisada e familiar. Os produtores precisam atuar mais e melhor na gestão de suas propriedades.”

EXPERIMENTE A PLATAFORMA AGRONOW GRÁTIS

Leia também:

Deixe seu comentário