Agricultura de precisão e inteligência artificial: o campo em constante transformação

A tecnologia influencia a agricultura há muito tempo. Desde a Revolução Industrial, iniciada no século 18, os produtores passaram a adotar práticas e máquinas para ajudar no aumento da produtividade e eficiência dos processos.

Nas décadas mais recentes, a agricultura de precisão trouxe uma nova revolução ao campo, trazendo subsídios para os agricultores planejarem melhor suas ações e terem mais controle sobre as condições para plantio.

Com os mapas de produtividade, tornou-se possível obter dados aprofundados sobre solo e clima, e indicações para aplicação de insumos na quantidade, local e momento ideais. O sistema de manejo integrado de informações e tecnologias propiciou o gerenciamento detalhado da produção.

Drones, GPS, satélites, máquinas inteligentes, sensores e Big Data tornaram a produção agrícola mais eficaz, mas o atual cenário mostra que um novo elemento vai transformar ainda mais o agronegócio: a Inteligência Artificial.

A utilização de robôs e sensores instalados em animais e plantas é uma realidade muito próxima, que vem ganhando destaque em pesquisas de especialistas no mundo todo.

O workshop “eScience: O Rural na Era Digital”, promovido pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) em novembro, reuniu profissionais para debates sobre e-Agriculture, área em que a tecnologia da informação é usada para observar, gerenciar e responder aos desafios da produção rural.

Mudanças climáticas, conectividade digital, uso de microssensores para coleta de dados, Internet das Coisas (IoT) e Big Data foram alguns outros temas abordados no evento.

Agrônomos, zootecnistas, engenheiros de biossistemas, geólogos, engenheiros agrícolas, meteorologistas e outros profissionais ligados à agricultura estão pesquisando maneiras de combinar os dados gerados por essas ferramentas às informações climáticas e de produção.

Robôs e máquinas dotadas de Inteligência Artificial – que se comunicam entre si, utilizando os dados fornecidos pelos sensores instalados em animais e na lavoura –, com monitoramento remoto, se tornarão comuns nas propriedades rurais.

O futuro já chegou às fazendas e podemos esperar, a cada safra, novas tecnologias que prometem tornar a produção agrícola mais rentável e sustentável.

1 reply added

  1. Pena que não vejo quem é o escritor deste blog, mas gostei do artigo equipe Agronow!
    A Agricultura de precisão é realmente fantástica, mas bem cara ainda para o médio produtor, ou dono de agronegócio de modo geral.
    Aqui na Simova, empresa na qual trabalho (www.simova.com.br), agente desenvolve a Agricultura de Decisão, por meio do apontamento eletrônico, agente mensura os valores sejam eles o controle de HH, maquinário e etc, até a gestão das informações geradas pela agricultura de precisão, porém, com um preço mais acessível.
    Agente até escreveu esses dias um artigo falando sobre isso (o endereço é grande, mas vale sua leitura também):
    https://blog.simova.com.br/agricultura-de-decisao-entenda-sobre-essa-revolucao-do-agronegocio/

    Mais uma vez, obrigado por seu post!
    Grande abraço!

Deixe um comentário