Com crescimento de 260% por trimestre, startups do agronegócio revolucionam a vida no campo

Estudo realizado pela Esalq/USP mostra que as startups agrícolas têm potencial de crescimento de 70% em média ao ano. O indicativo, contudo, é tímido perto da realidade que as empresas de tecnologias para o caso vivem

Mais do que viver um bom momento, essas startups são indispensáveis para as boas práticas no campo, conforme explica a chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária, Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá.

São elas que vão contribuir “para elevar os índices de produtividade, da eficiência do uso de insumos, da redução de custos com mão de obra, melhorar a qualidade do trabalho e a segurança dos trabalhadores e diminuir os impactos ao meio ambiente”, explica a pesquisadora.

No segundo capítulo da série de reportagens sobre Agricultura 4.0 da Agronow, Silvia Massruhá faz um balanço do emprego da tecnologia na vida do produtor rural. “As principais áreas de atuação destas startups são em tecnologias de suporte à decisão, softwares para gestão, equipamentos inteligentes (Internet das Coisas – IoT) e agricultura de precisão. Os principais mercados de atuação são soja, milho, cana-de-açúcar, café e pecuária de corte.”

A Agronow é uma das protagonistas no setor. Plataforma de mapeamento via web e app que estima, informa e projeta a produtividade da colheita futura em segundos, com alta taxa de acerto (acima de 90%, a Agronow oferece a todos os produtores rurais, dos pequenos aos que operam em escala global, a possibilidade de localizar pragas, aplicar insumos de maneira mais eficiente, identificar áreas mais e menos férteis e, especialmente, prever quanto a safra vai produzir, com dados sobre cultivos passados e o atual – bastando alguns toques na tela do smartphone.

“Inicialmente, observamos que hoje temos 213 empresas que atuam indiretamente na agricultura”, aponta Silvia. “Em uma análise no software Gestec, que é um software de soluções tecnológicas geradas pela Embrapa,  temos aproximadamente 177 softwares e serviços web cadastrados”, continua ela. Atualmente, a agricultura brasileira é baseada em mais de 300 espécies de cultivos e envia para o mundo 350 tipos de produtos que chegam a 180 mercados do planeta (Embrapa em números).

Com mapas de produtividade, umidade, temperatura, além dos índices de vegetação, de área foliar e de vegetação ajustado ao solo, a Agronow registra 3.000 usuários (dados de abril), mais de 500 safras analisadas e 1 bilhão de hectares mapeados. No começo deste ano, a taxa de crescimento da startup foi superior a 260% em um trimestre.

“Criamos a Agronow para que qualquer proprietário rural tenha acesso a dados relevantes, promovendo a inclusão tecnológica, independentemente de seu poder aquisitivo ou tamanho da sua propriedade”, explica Antonio Morelli, CEO da Agronow. “Colocamos o monitoramento por satélites sobre o sítio, fazenda ou região de interesse do usuário ao alcance de um clique. Queremos ajudar a cultivar o futuro e colher os benefícios da antecipação de informações essenciais ao planejamento e gestão em todos os níveis do agrobusiness”, finaliza.

Na próxima reportagem, que será publicada na segunda-feira (dia 29), Silvia Massruhá discute a importância da tecnologia do campo para garantir a competitividade e sustentabilidade dos produtores no mercado nacional e internacional.

EXPERIMENTE A PLATAFORMA AGRONOW GRÁTIS

Leia também:

Deixe seu comentário